12.º FESTIVAL INTERNACIONAL DOURO JAZZ 2015

A décima segunda edição do Festival Internacional Douro Jazz abre com a iniciativa ‘Jazz Aos Montes’. Trata-se de um workshop de jazz e improvisação orientado por Filipe Melo, Pedro Moreira e Gonçalo Marques e destinado aos músicos da região, culminando num concerto no Grande Auditório que envolverá todos os participantes.

 

O segundo momento do festival tem também um cariz abrangente, destinando-se neste caso a um público infantil e familiar. É a apresentação do álbum ‘Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa’, de Luísa Sobral.

 

A fechar o mês de Setembro, preparámos uma noite dedicada à época áurea do jazz dançante. Os primórdios do jazz são assim evocados este ano não como habitualmente pelo dixieland mas pelo swing, interpretado pela Jam Swing (uma reunião de músicos da associação Porta-Jazz)  e dançado por alguns bailarinos de Lindy Hop.

 

O primeiro fim-de-semana de Outubro acolhe duas grandes formações, representativas do jazz que se faz em Portugal. O Ensemble Super Moderne — que junta oitos dos mais reconhecidos músicos do panorama jazz do norte, incluindo o vila-realense Carlos Azevedo (Orquestra Jazz de Matosinhos) —, explora diferentes formas de narrar, improvisar e interagir musicalmente. De Lisboa, o saxofonista e compositor Desidério Lázaro, apresenta o seu mais recente projecto, ‘Subtractive Colors’, com um sexteto pouco usual constituído por um excelente conjunto de músicos nacionais.

 

Na segunda das actuações no Café-Concerto, o festival acolhe o quarteto do experiente contrabaixista Filipe Teixeira.

 

Na fase final, tem lugar a apresentação de João Hasselberg, um jovem compositor especialmente bem recebido pela crítica e pelo público, que se faz acompanhar em alguns temas pela cantora Joana Espadinha.

 

O encerramento desta edição está a cargo do britânico Alexander Stewart, um dos mais talentosos vocalistas da nova geração do jazz internacional, que vem apresentando inteligentes arranjos para alguns dos mais conhecidos standards do jazz e tem deixado a sua marca em grandes interpretações de clássicos da pop e em originais de uma qualidade soberba.

Decorrendo sob o mote ‘Jazz em época de vindimas’, o Douro Jazz junta a música ao vinho produzido na região. Em todos os concertos do festival será servido um vinho seleccionado pela Lavradores de Feitoria, empresa que reúne várias quintas e produtores do Douro..

VINHO DOURO JAZZ

Parceria:

Mecenas do Teatro de Vila Real:

Bilheteira e reservas

Telefone: 259 320 000

Horário: das 14h00 às 22h00

E-mail: bilheteira@teatrodevilareal.com

 

Teatro de Vila Real

Alameda de Grasse

5000-703 Vila Real

E-mails:

geral@teatrodevilareal.com

Produção e Programação: producao@teatrodevilareal.com

2015  © Teatro de Vila Real

Concepção e design: Paulo Araújo